O Que É o CBD?

A planta de cânhamo, domesticada há mais de 6000 anos na China, produz mais de 400 compostos orgânicos. Os dois grupos principais de moléculas com propriedades bioativas encontradas no cânhamo são os terpenos e os canabinoides. O CBD pertence a este último grupo.

Os canabinoides são compostos que influenciam o sistema nervoso humano através do sistema endocanabinoide. A planta de cânhamo tem dúzias de canabinoides, sendo o THC, o CBD e o CBG os mais comuns. Eles diferem em estrutura química e efeitos.

Acredita-se que o CBD tem muitas aplicações terapêuticas, e é também usado como suplemento alimentar diário para promover a homeostase. Embora seja benéfico para o bem-estar geral, o CBD não possui as propriedades psicotrópicas do seu primo, o THC.

Qual a diferença entre o CBD e o THC?

O CBD significa canabidiol e o THC tetrahidrocanabinol. Ambos são canabinoides derivados da planta do cânhamo e da canábis. A diferença entre eles é que o CBD não induz efeitos psicoativos. Como resultado, o CBD é legal em muitos países, ao contrário do THC. Surpreendentemente, o CBD tem o potencial de limitar os efeitos psicotrópicos do THC, ao diminuir a sua habilidade em conectar-se ao recetor CB1.

Diferenças entre CBD e THC

CBD:

  • Não-psicoativo: não deixa os utilizadores alterados.
  • Nenhum efeito secundário conhecido.
  • Ajuda a prevenir os efeitos psicoativos do THC.
  • É legal em muitos países.

THC:

  • Psicoativo: deixa os utilizadores alterados.
  • Tem efeitos secundários como paranoia e ansiedade.
  • Os efeitos são consistentes com uma psicose.
  • É ilegal em muitos países

Como funciona o CBD?

O sistema nervoso humano contém um grande número de recetores. Os recetores são como antenas de telemóvel a transmitir sinais. Uma antena aceita uma onda eletromagnética como sinal, enquanto os recetores usam moléculas específicas para transmitir mensagens.

Um dos sistemas recetores é o Sistema Endocanabinoide (SE). Os recetores SE estão localizados no cérebro humano e no sistema nervoso periférico - nervos e medula espinhal - entre outros locais. No cérebro, os recetores residem em áreas responsáveis pela perceção, concentração, memória e movimento. É por isso que o SE está envolvido na regulação de muitos processos fisiológicos, incluindo a sensação de dor, humor e apetite.

Os dois recetores SE predominantes são o CB1 e CB2. Estes recetores juntam-se a moléculas produzidas dentro do corpo conhecidas como endocanabinoides. O 2-Aracdonoglicerol (2-AG) é um dos principais endocanabinoides que se juntam a recetores CB1 e CB2. O CBD, um fitocanabinoide (derivado de plantas), não se junta a esses recetores diretamente, embora consiga replicar alguns dos efeitos do 2-AG.

O CBD também tem propriedades antiespasmódicas, antipsicóticas, anticonvulsivas e neuroprotetoras. Também pode ajudar a aliviar o stress diário e a deixar o sistema nervoso mais resiliente.

A biologia e química do CBD

As plantas de canábis sativa selvagens são fontes de uma variedade de compostos orgânicos, com o THC e o CBD entre eles. Assim como outras plantas domesticadas foram selecionadas para produzir moléculas específicas em altas quantidades, a canábis sativa foi cultivada seletivamente para diferentes propósitos. Como resultado, as plantas originais foram divididas em cultivares distintos, com diferentes qualidades. O cânhamo foi cultivado para uso industrial e para produzir altos níveis de CBD, com apenas vestígios de THC.

O THC e o CBD estão ligados intimamente aos compostos derivados da planta chamados terpenos e terpenoides (terpenos alterados pelo oxigénio), como limoneno e mentol, e curcuminoides encontrados na curcuma e sementes de mostarda. Os terpenos são uma grande classe de moléculas orgânicas usadas extensivamente na culinária tradicional pelas suas qualidades aromáticas. Também têm um papel importante nos remédios de ervas tradicionais.

O THC e o CBD são produzidos no mesmo caminho de biossíntese. Por outras palavras, eles possuem a mesma molécula precursora, o ácido canabigerólico ou CBGA. Quando o precursor está disponível, uma enzima - a sintase CBDA - faz uma ligação extra e converte o CBGA em CBDA. Após um processo de descarboxilação, esta converte-se em CBD ativo. Paralelamente, a sintase THCA converte o CBGA no precursor do THC, o THCA.

De que produto eu preciso?