About the author
Sources
Fontes

[1] Panossian A, Wikman G. Efeitos dos adaptógenos no sistema nervoso central e os mecanismos celulares associados à sua atividade protetora do stresse. Pharmaceuticals (Basel, Suíça). https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3991026/. Publicado a 19 de janeiro de 2010. [Fonte]

[2] J; CMBAPB. Os efeitos da rhodiola rosea L. Extrato sobre a ansiedade, stresse, cognição e outros sintomas de humor. Investigação de fitoterapia: PTR. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26502953/. Publicado em 2015. [Fonte]

[3] Lee Y, Jung J-C, Jang S, et al. Efeitos anti-inflamatórios e neuroprotetores dos constituintes isolados da rhodiola rosea. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine. https://www.hindawi.com/journals/ecam/2013/514049/. Publicado a 16 de abril de 2013. [Fonte]

[4] Ishaque S, Shamseer L, Bukutu C, Vohra S. Rhodiola rosea para a fadiga física e mental: uma avaliação sistemática. BMC complementar e medicina alternativa. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3541197/. Publicado a 29 de maio de 2012. [Fonte]

[5] Rhodiola. National Center for Complementary and Integrative Health. https://www.nccih.nih.gov/health/rhodiola. Publicado em 2020. [Fonte]

Back

Rhodiola rosea: Definição, Benefícios, Efeitos Secundários e Dosagem

O que é a Rhodiola rosea?

Favorecendo climas frios e alpinos, a Rhodiola rosea é uma planta perene que pode ter vários benefícios para o bem-estar. Continue a ler para saber mais sobre este suplemento herbal cada vez mais popular.

O que é a Rhodiola rosea?

Acima do solo, a Rhodiola rosea (também conhecida como raiz do ártico e raiz dourada) tem uma aparência bastante singela e, na maioria, não parece oferecer nada de espetacular. No entanto, é que o se encontra sob esta que suscita o principal interesse.

Pertencendo à família das Crassulaceae, a Rhodiola rosea cresce na natureza nas regiões frias e montanhosas e é útil como cobertura do solo para proteger a integridade do mesmo.

No entanto, além da sua utilidade no jardim, descobrirá que a planta tem uma rica história holística de utilização em toda a Rússia e nos países escandinavos. De facto, a raiz da planta é utilizada na esperança de beneficiar o bem-estar, o que a tornou num popular suplemento herbal.

Mas o que é que tem a raiz da Rhodiola para torná-la tão influente? A resposta poderá encontrar-se nos adaptógenos — um termo utilizado para descrever substâncias que podem ajudar a estabilizar o bem-estar físico e mental.

Como funciona a Rhodiola rosea?

Crê-se que os compostos contidos na Rhodiola trabalhem em conjunto com processos biológicos essenciais do corpo para apoiarem a homeostase, levando alguns a reivindicar que a raiz tem qualidades adaptogénicas.

A ciência dos adaptógenos continua a ser investigada, mas pensa-se que estas substâncias operam principalmente através da modulação do eixo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.[1] Esta rede de sistemas controla a libertação de cortisol, um neuroquímico envolvido na resposta ao stresse do corpo. Ao influenciar potencialmente a libertação e a regulação de hormonas essenciais, os adaptógenos poderão ajudar a mente e o corpo a lidarem melhor com o impacto do stresse.

Quais são os benefícios da Rhodiola rosea?

Com os potenciais mecanismos da raiz dourada e os detalhes formais cobertos, está na altura de avançarmos para aplicações mais práticas. Como é que a Rhodiola pode influenciar exatamente o bem-estar?

Rhodiola rosea e as perturbações de humor

A ansiedade e a cognição estão diretamente associadas à resposta ao stresse do corpo, o que levou os investigadores da Universidade de Surrey a realizarem um estudo controlado para observarem os efeitos da Rhodiola rosea em participantes humanos. O estudo descobriu que oitenta "ligeiramente ansiosos participantes" demonstraram uma alteração "na ansiedade reportada pelos próprios, no stresse, na raiva, confusão e depressão".[2]

No entanto, devemos observar que os resultados de um estudo controlado sem placebo têm determinadas limitações. Dito isto, os investigadores estavam confiantes que as alterações não derivaram do efeito do placebo, garantindo a busca de "mais investigação" para apoiarem os efeitos da Rhodiola em sintomas relacionados com o stresse.

Rhodiola rosea e o sistema imunitário

A natureza adaptogénica proposta da Rhodiola significa que a sua influência equilibradora poderá estender-se ao sistema imunitário.

Infelizmente, o sistema imunitário é uma área do nosso corpo que é altamente suscetível ao stresse, por conseguinte, qualquer substância que tenha o potencial de restaurar o equilíbrio vale a pena ser investigada.

Um estudo de 2013 procurou compreender o possível impacto da Rhodiola na inflamação, um mecanismo crucial do sistema imunitário.[3] Os investigadores descobriram que os compostos na Rhodiola — colofónia, rosavina e salidrosídeo — têm o potencial de exibir ligações terapêuticas com a inflamação.

Rhodiola rosea e a fadiga

Com o passar dos anos, a Rhodiola acumulou uma reputação entre os consumidores por ajudar a combater a fadiga, mas uma avaliação sistemática das evidências descobriu que os resultados eram um pouco mais ambíguos.[4] Os investigadores descobriram que a erva pode ajudar a reforçar a "performance física e a aliviar a fadiga mental", mas muitos estudos eram limitados na sua extensão ou nos seus parâmetros de controlo.

No entanto, a escassez de evidência não significa estritamente que a erva é ineficaz. A avaliação concorda que os resultados provisórios são encorajadores, mas que são necessários estudos "rigorosamente elaborados" para determinar a verdadeira eficácia da planta.

Quais são os efeitos secundários da Rhodiola rosea?

Um tema comum em todos os estudos destacados supra é um "perfil de tolerabilidade de segurança favorável", sugerindo que a Rhodiola rosea é geralmente bem tolerada, com poucos potenciais efeitos secundários.²

No entanto, ainda deve ter em consideração que os potenciais efeitos secundários incluem tontura, boca seca e saliva excessiva. Também deve evitar a Rhodiola caso tenha uma perturbação autoimune, o seu mecanismo proposto pode agravar determinadas doenças.[5] Se não tiver a certeza da adequabilidade do extrato de Rhodiola para o seu caso, é melhor discutir as implicações com o seu médico.

Como tomar a Rhodiola rosea

As formas mais comuns de Rhodiola são as cápsulas, comprimidos e extratos em pó. Também pode ferver a raiz da planta para preparar um chá, mas isto pode não ser tão eficaz como os suplementos concentrados. Independentemente da opção que utilizar, a escolha de produtos de alta qualidade é fundamental, dado que quererá assegurar que os seus suplementos de Rhodiola não contêm quaisquer ingredientes adicionais ou indesejáveis.

O doseamento e a frequência de consumo também variam consoante o seu regime de bem-estar, por conseguinte, a melhor abordagem é seguir as indicações do fabricante. A observação final ao tomar Rhodiola rosea é a sua adequabilidade a longo prazo. Muitos estudos só examinaram o impacto da planta a curto prazo, por conseguinte é melhor proceder com cautela e evitar tomar suplementos por mais do que doze semanas.

Rhodiola rosea: um adaptógeno versátil

Os estudos pré-clínicos sugerem que os compostos contidos na Rhodiola rosea podem ter uma influência benéfica na resposta ao stresse do corpo. No entanto, saber que existe uma potencial interação é apenas uma peça do puzzle científico. É necessária mais investigação para identificar o mecanismo exato de ação e para estabelecer como é que o extrato de Rhodiola poderá beneficiar o humor, a fadiga, inflamação etc.

Apesar da incerteza em torno da eficácia da Rhodiola, esta demonstra um perfil de segurança favorável e funciona em conjunto com vários outros ingredientes de bem-estar naturais. Assim sendo, desde que se mantenha por produtos de fabricantes de confiança, há poucos motivos para não experimentar a influência equilibradora da planta.

Pronto para sentir uma gama de suplementos naturais de alta qualidade? Então, navegue pela loja Cibdol para ficar a saber como é que o poder da natureza pode apoiar os seus objetivos de bem-estar. Ou, para saber mais sobre a necessidade de equilíbrio (homeostase) do corpo, visite a nossa Enciclopédia CBD.

Author
Luke Sholl

Title/author.

Luke Sholl
Com mais de uma década de experiência escrevendo sobre CBD e canabinoides, Luke é um jornalista consagrado e escritor-chefe para a Cibdol e outras publicações sobre canabinoides. Comprometido com os fatos, sua fascinação pelo CBD também engloba fitness, nutrição e prevenção de doenças.
Luke Sholl

Title/author.

Luke Sholl
Com mais de uma década de experiência escrevendo sobre CBD e canabinoides, Luke é um jornalista consagrado e escritor-chefe para a Cibdol e outras publicações sobre canabinoides. Comprometido com os fatos, sua fascinação pelo CBD também engloba fitness, nutrição e prevenção de doenças.
Fontes

[1] Panossian A, Wikman G. Efeitos dos adaptógenos no sistema nervoso central e os mecanismos celulares associados à sua atividade protetora do stresse. Pharmaceuticals (Basel, Suíça). https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3991026/. Publicado a 19 de janeiro de 2010. [Fonte]

[2] J; CMBAPB. Os efeitos da rhodiola rosea L. Extrato sobre a ansiedade, stresse, cognição e outros sintomas de humor. Investigação de fitoterapia: PTR. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26502953/. Publicado em 2015. [Fonte]

[3] Lee Y, Jung J-C, Jang S, et al. Efeitos anti-inflamatórios e neuroprotetores dos constituintes isolados da rhodiola rosea. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine. https://www.hindawi.com/journals/ecam/2013/514049/. Publicado a 16 de abril de 2013. [Fonte]

[4] Ishaque S, Shamseer L, Bukutu C, Vohra S. Rhodiola rosea para a fadiga física e mental: uma avaliação sistemática. BMC complementar e medicina alternativa. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3541197/. Publicado a 29 de maio de 2012. [Fonte]

[5] Rhodiola. National Center for Complementary and Integrative Health. https://www.nccih.nih.gov/health/rhodiola. Publicado em 2020. [Fonte]

De que produto eu preciso?
As Seen On: