Author: Luke Sholl
About the author
A picture of Luke Sholl
Com mais de uma década de experiência escrevendo sobre CBD e canabinoides, Luke é um jornalista consagrado e escritor-chefe para a Cibdol e outras publicações sobre canabinoides. Comprometido com os fatos, sua fascinação pelo CBD também engloba fitness, nutrição e prevenção de doenças.
Read more.

O que é o Ginkgo Biloba?

O que é o Ginkgo Biloba?

Extraído de uma das mais antigas árvores do mundo, o Ginkgo biloba é um suplemento herbal incrivelmente popular que é utilizado a nível mundial. Com uma história vibrante, há imenso a revelar, por conseguinte, abordemos de imediato os usos versáteis deste suplemento de referência.

O que é o Ginkgo biloba?

O Ginkgo biloba é um suplemento herbal extraído das folhas secas da árvore ginkgo.[1] No entanto, aquilo que torna a espécie Ginkgo biloba bastante extraordinária é a sua história. Muitas pessoas consideram a árvore um "fóssil vivo", devido ao seu período de vida incrivelmente longo e às ligações com espécies que existiram há cerca de 170 milhões de anos. Com alguns espécimes na China que se acredita terem mais de 2500 anos e atingindo mais de 40 metros de altura, o Ginkgo biloba é indiscutivelmente uma das espécies mais resilientes no planeta.

A extensa história da árvore ginkgo também é um dos muitos motivos pelos quais os suplementos de Ginkgo biloba são tão populares. Este tornou-se num dos principais esteios das culturas a nível mundial, comprovando-se lenta, mas asseguradamente, ao longo dos muitos anos da sua existência. O mais notável é a sua influência na medicina tradicional chinesa, na qual as folhas secas são utilizadas para vários fins holísticos e para apoiar a função cognitiva.

Como funciona o Ginkgo biloba

Antes de mergulharmos nos efeitos específicos do Ginkgo biloba, temos primeiro de analisar como é que o extrato afeta o bem-estar mental e físico no geral. A árvore está repleta de flavonoides e terpenos (ginkgolidos e bilobalidas), que são antioxidantes poderosos. Acima de tudo, aquilo que faz com que os antioxidantes sejam cruciais para a saúde humana é o seu impacto nos radicais livres.

Os radicais livres são essencialmente átomos instáveis que saltitam no interior do corpo humano, danificando as células. Por serem altamente reativos, os radicais livres contribuem para o envelhecimento, stresse oxidativo, doenças etc. No entanto, os antioxidantes conseguem "desligar" eficazmente os radicais livres cedendo alguns dos seus eletrões.

Ainda não compreendemos na íntegra a extensão da interação entre os antioxidantes e os radicais livres, ou como fazer o melhor uso da mesma. Não obstante, qualquer substância que possa reduzir o impacto dos radicais livres poderá potencialmente beneficiar o bem-estar.

Para que serve o Ginkgo biloba?

Afinal, o que é que os suplementos Ginkgo biloba têm para ajudá-los a reter um posição de mais vendido? Para responder a essa pergunta, temos de olhar para a ciência que apoia a influência proposta para o gingko. Abaixo, tem um resumo geral das áreas que demonstram ser mais promissoras.

Ginkgo biloba e as perturbações cognitivas

O impacto do Ginkgo biloba nas perturbações cognitivas como a doença de Alzheimer (AD) é uma das áreas com mais investigação, mas há uma ressalva. Apesar do interesse, os resultados aparentam ser mistos, com alguns estudos a sugerirem que há um impacto benéfico, enquanto outros contestam a sua utilidade.

No entanto, pode não ser um caso de nenhum impacto, mas sim um impacto limitado em indivíduos saudáveis. Uma meta-análise de 2012 sobre o Ginkgo biloba descobriu que "não havia quaisquer efeitos positivos verificáveis" em indivíduos saudáveis, mas três outros estudos sugeriam que "o Gb pode fornecer alguns benefícios cognitivos adicionais" especificamente em pacientes AD.[2],[3],[4]

Ginkgo biloba e a inflamação

Não há como negar o impacto significativo da inflamação crónica, por conseguinte, qualquer substância que possa comprovar influenciar positivamente vale a pena explorar. Para esse fim, um estudo em modelo animal de 2008, realizado por investigadores dos EUA, destaca alguns mecanismos interessantes de ação relativamente ao Ginkgo biloba e aos marcadores inflamatórios.[5]

O estudo denota que um extrato específico de Ginkgo biloba (EGb 761) pode influenciar os marcadores iNOS e COX-2 associados à colite ulcerosa. E embora os investigadores reconheçam o potencial uso do EGb 761 enquanto uma estratégia complementar, o desafio de normalizar o extrato de ginkgo e de isolar compostos específicos permanece uma prioridade obrigatória para estudos futuros.

Ginkgo biloba e as perturbações de humor

Outra área promissora centra-se no extrato 761 (EGb 761) do Ginkgo biloba e as perturbações de humor como a ansiedade. Num estudo controlado por placebo da Klinik für Psychiatrie und Psychotherapie, os investigadores observaram que o EGb 761 não só se saía significativamente melhor do que o placebo, como também "era seguro e bem tolerado".[6]

Outro estudo constatou resultados semelhantes quando examinou o impacto do Ginkgo biloba em várias perturbações psiquiátricas. Os investigadores propuseram "o potencial uso do EGb 761, isolado ou combinado com os medicamentos atuais do tratamento".[7]

Efeitos secundários do Ginkgo biloba

Quando se trata dos potenciais efeitos secundários, há alguns a considerar. Primeiro, devemos evidenciar que embora o extrato de ginkgo seco aparente ser bem tolerado, não podemos dizer o mesmo das sementes e folhas de gingko cruas. Ambas são tóxicas para os humanos, e deve evitá-las, de todo.

Além do consumo das partes cruas da árvore de ginkgo, o extrato seco tem os seguintes potenciais efeitos secundários:

• Enxaquecas
• Vómitos/náuseas
• Diarreia
• Tontura

Outra interação notável dá-se entre o gingko e a viscosidade sanguínea. Se tiver perturbações hemorrágicas ou esteja atualmente a tomar medicamentos que alteram a coagulação sanguínea, é aconselhável evitar consumir o extrato de Ginkgo. Como é óbvio, se tiver quaisquer dúvidas ou preocupações, deve sempre discutir a toma de um novo suplemento com o seu médico para obter aconselhamento específico para o seu caso.

Quanto Ginkgo biloba deve tomar?

A investigação relativa à dosagem do Ginkgo biloba é limitada e, por conseguinte, não há quaisquer indicações específicas. Se decidir tomar suplementos de gingko, é melhor seguir o aconselhamento do fabricante, começando com uma dose baixa e indo subindo gradualmente para observar como se sente. Outra consideração importante é o tipo de suplemento que está a usar.

O Ginkgo biloba está disponível em cápsulas, pó, comprimidos, extratos e chás prontos a ferver. Cada vem com diferentes concentrações e biodisponibilidade, por conseguinte, deve adaptar a sua dosagem em conformidade.

Lembre-se que nenhuma das formas supramencionada é superior à outra. Ao invés, trata-se de combinar os benefícios de um determinado produto com o seu estilo de vida e as suas necessidades específicas de bem-estar.

Quanto tomar o Ginkgo biloba

Se estiver a tomar suplementos de ginkgo para fins de bem-estar geral, deve apontar para consumir uma dose regular em conjunto com a sua rotina de suplementos existente.

Caso esteja a tentar abordar uma necessidade de bem-estar em particular, deve apontar para tomar o extrato de ginkgo 1 a 4 horas antes de ser necessário. Praticamente todas as formas de suplementos de ginkgo têm de viajar pelo sistema digestivo antes de os ingredientes ativos começarem a circular pelo corpo.

Os suplementos de Ginkgo biloba são seguros?

O Ginkgo biloba é um suplemento herbal, o que significa que não está sujeito às mesmas restrições e controlo de qualidade das substâncias reguladas. Para assegurar que tem a melhor experiência possível, compre sempre produtos de Ginkgo biloba de fornecedores de confiança, preferivelmente um que publique uma lista completa dos ingredientes. Embora o ginkgo em si aparente ser bem tolerado, há uma maior probabilidade de que os produtos de baixa qualidade possam incluir elementos indesejáveis ou prejudiciais.

Quanto aos benefícios de bem-estar propostos da árvore, a influência exata permanece sob investigação. No entanto, considerando a prevalência dos suplementos de Ginkgo biloba, bem como à sua sinergia com outros ingredientes naturais, não há qualquer dúvida de que ainda haverá mais investigação que examine o seu impacto no bem-estar físico e mental.

Está interessado em explorar o Ginkgo biloba em conjunto com dezenas de outros ingredientes naturais? Porque não navega pela loja Cibdol para ver uma seleção completa de suplementos de bem-estar. Além disso, para aprender mais sobre a relação entre os radicais livres e os antioxidantes, visite a nossa Enciclopédia CBD.

Fontes

[1] Ginkgo. National Center for Complementary and Integrative Health. https://www.nccih.nih.gov/health/ginkgo. Publicado em 2020. [Fonte]

[2] Canevelli M, Adali N, Kelaiditi E, Cantet C, Ousset P-J, Cesari M. Efeitos da suplementação com gingko biloba em pacientes com a doença de Alzheimer que recebem inibidores da colinesterase: dados do estudo ictus. Phytomedicine. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0944711314000257. Publicado a 16 de fevereiro de 2014. [Fonte]

[3] Kanowski S;Herrmann WM;Stephan K;Wierich W;Hörr R; S. Prova da eficácia do extrato especial EGB 761 do ginkgo biloba em pacientes ambulatórios que sofrem de demência degenerativa primária suave a moderada do tipo Alzheimer ou demência por múltiplos enfartes. Pharmacopsychiatry. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8741021/. Publicado em 1996. [Fonte]

[4] Yang G;Wang Y;Sun J;Zhang K;Liu J; G. Ginkgo biloba para deficiência cognitiva suave e doença de Alzheimer: uma análise sistemática e meta-análise de ensaios aleatórios controlados. Tópicos atuais sobre a química medicinal. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26268332/. Publicado em 2016. [Fonte]

[5] Kotakadi VS, Jin Y, Hofseth AB, et al. O extrato EGB 761 do Ginkgo biloba tem propriedades anti-inflamatórias e melhora a colite em ratos conduzindo a apoptose de células T efetoras. Carcinogénese. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2527648/. Publicado em setembro de 2008. [Fonte]

[6] R; WHAKHKMH. Extrato especial EGB 761 do Ginkgo biloba special na perturbação de ansiedade generalizada e ajuste da perturbação com humor ansioso: um estudo duplo-cego aleatório controlado por placebo. Journal of psychiatric research. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16808927/. Publicado em 2006. [Fonte]

[7] P; MPR-SERCR. Extrato 761 do Ginkgo biloba: uma análise dos Estudos Básicos e do potencial uso clínico em perturbações psiquiátricas. CNS & neurological disorders drug targets. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25642989/. Publicado em 2015. [Fonte]

De que produto eu preciso?
As Seen On: