Como Falar Com O Seu Médico Sobre O CBD

Published:

Falar com o seu médico sobre CBD não precisa de ser preocupante

O estigma ligado ao CBD está lentamente a desaparecer. Não só as pessoas perceberam a diferença entre cânhamo e canábis, como também o foco mudou. O interesse está agora no potencial terapêutico dos canabinoides e no que podem fazer pelos nossos problemas físicos e mentais. Se acha que o CBD o pode ajudar de alguma forma, fale com o seu médico sobre esta possibilidade.

Lembre-se, o trabalho do médico não é julgá-lo ou criticar a sua visão sobre tratamentos alternativos. Os médicos estão lá para ajudar a tratar e gerir os seus problemas de saúde, proporcionando ao mesmo tempo apoio e aconselhamento. O médico conhece o seu histórico médico completo e, portanto, é a pessoa ideal para discutir se deve ou não utilizar o CBD. Como é um composto emergente, ainda há muito a aprender sobre o canabinoide e pode haver alguma informação que lhe escapou e que o seu médico pode apontar.

Antes de falar com o seu médico, é importante fazer alguma pesquisa sobre o CBD

O conhecimento sobre o CBD aumenta a cada dia e, por isso, vale a pena compreender os efeitos terapêuticos que o composto pode ter. Antes de levar o assunto ao seu médico, reflita sobre o que pretende obter e alcançar com o CBD e que estudos suportam o resultado desejado. Pode depois passar para a segunda etapa - saber que produtos de CBD estão disponíveis no mercado.

O CBD pode ser consumido de várias formas, tendo cada método as suas vantagens e desvantagens. Os líquidos para vaporação de CBD podem ser inalados, enquanto as gotas são tomadas tipicamente várias vezes ao dia, ou colocadas sob a língua. Pode também adicionar tinturas de CBD às suas bebidas ou comidas, e há ainda alguns produtos de CBD que possuem componentes extra, como lipossomas, vitaminas e minerais.

Seria impossível cobrir os prós e contras de cada produto neste artigo, mas no site da Cibdol pode encontrar vários artigos e descrições detalhadas dos produtos, que referem os benefícios principais de cada um deles.

É fundamental verificar o estatuto legal do CBD

Depois de perceber o que pretende obter com o CBD e de escolher o produto ideal, está hora de verificar o estatuto legal do composto no seu país. Na maior parte das situações, o CBD derivado do cânhamo comercial é legal para comprar e usar. Se vive numa área onde a canábis medicinal ou recreativa é aceite, verifique o estatuto legal dos produtos de CBD que pretende, antes de comprar. É comum os médicos e as pessoas em geral assumirem que está a falar de canábis medicinal, quando menciona o CBD. Esse não é o caso, pois os óleos de CBD derivados de cânhamo de alta qualidade possuem apenas vestígios de THC. Para além dos benefícios do 'efeito entourage', o CBD produzido cumprindo o padrão standard não é restrito, da mesma forma que os produtos derivados de canábis.

As interações medicamentosas podem ocorrer com o CBD

Quando o CBD é consumido passa pelo nosso sistema digestivo, antes de ser decomposto pelas enzimas no fígado e entrar na corrente sanguínea. Não há nada de estranho nisso, pois é a forma como o corpo processa grandes proporções de medicamentos. Há, no entanto, a possibilidade de existir interação medicamentosa devido à forma como o CBD influencia a enzima citocromo P450 no interior do fígado.

O CBD pode inibir a enzima, diminuindo a velocidade a que outros componentes são decompostos e permitindo que eles fiquem no sistema durante mais tempo. Isto pode ter efeitos secundários adversos e deve ser um assunto chave na conversa com o seu médico.

Embora tenham sido registadas muitas interações medicamentosas com o CBD, é impossível saber se o medicamento que toma vai interagir com o CBD. Em alguns casos, o atraso no metabolismo não causará problemas sérios, mas apenas o seu médico lhe poderá dar uma resposta definitiva. Possivelmente, enquanto tomar o CBD, o médico vai requerer análises sanguíneas para verificar se os níveis de certas substâncias estão normais.

Não tenha medo de pedir uma segunda opinião

O principal problema do CBD é que os estudos estão ainda no início e o conhecimento por parte dos profissionais médicos é pouco. Isto não significa que pedir uma segunda opinião faz do seu médico incompetente, mas as publicações médicas não são leituras leves e é irrealista assumir que todos os médicos se mantêm atualizados em relação ao CBD. Pode haver outro médico com uma melhor compreensão do CBD e que, consequentemente, lhe poderá dar respostas mais informadas.

Antes, durante e após a consulta, o principal a lembrar é que não há nada de errado em perguntar sobre o CBD. Os estudos sobre o componente parecem favoráveis e ele poderá contribuir para o seu bem-estar. Defina exatamente o que pretende do CBD e crie um plano com os conselhos de seu médico. De uma perspetiva médica, ele conhece-o melhor e é para ele que deve ligar quando tiver qualquer dúvida sobre o CBD.

Registe-se e aproveite 10% de desconto na sua primeira compra

De que produto eu preciso?