O que é o Nerolidol?

O que é o Nerolidol?

Sendo um dos mais de 40 000 terpenos que ocorrem na natureza, o nerolidol está presente em muitas espécies vegetais que produzem odores florais. A molécula também aparece em várias ervas utilizadas em sistemas medicinais populares. Curiosamente, a investigação moderna está a sondar este terpeno num esforço para elucidar sobre o seu valor terapêutico. As conclusões das primeiras experiências produziram alguns resultados promissores.

Os tricomas das flores de canábis também produzem o terpeno, o qual empresta o paladar e aroma a algumas estirpes. No entanto, os investigadores só encontraram a molécula em pequenas quantidades quando analisaram cultivares californianos. O nerolidol pertence à família química dos sesquiterpenos, um grupo de compostos que é menos volátil e mais pungente do que outros terpenos.

Muitas empresas tiraram partido do aroma forte a aprazível do nerolidol em inúmeros produtos cosméticos e de limpeza. Os relatórios sugerem que, a cada ano, estas indústrias utilizam 10–100 toneladas métricas do terpeno. O odor fresco do nerolidol está presente em todo o lado, desde champôs e perfumes até detergentes e loções de limpeza. A Food and Drug Administration dos EUA também classificou o nerolidol como um aromatizante seguro para utilização em alimentos. Pode encontrá-lo infundido em muitos produtos alimentares como um potenciador do sabor.

Aroma

O nerolidol contribui para os aromas arborizados, florais, frutados e terrosos de muitas plantas, frutos e ervas culinárias. No geral, a combinação destas notas cria um aroma não muito diferente da casca de árvore fresca.

Também encontrado em

Muitas plantas produzem nerolidol como um metabólito secundário. Este ocorre nos bulbos, sementes, folhas e partes aéreas de muitas espécies. O terpeno desempenha um papel protetor contra herbívoros predadores que, de outra forma, devorariam as plantas.

O nerolidol é um constituinte do gengibre, jasmim, árvore do chá, alfazema, capim-limão, eucalipto, manjericão doce, chá verde e preto, cardamomo, esteviosídeo, estragão, verbena-limão, tomilho e anis estrelado.

O que é o Nerolidol?

Possíveis efeitos

A investigação conduzida em modelos animais e celulares sugere que o nerolidol exibe uma miríade de efeitos terapêuticos. Estes incluem:

• Anti-inflamatório
• Antinocicetivo
• Antitumoral
• Antioxidante
• Neuroprotetor
• Antiulcerativo

O nerolidol aparenta estabelecer sinergia com determinados canabinoides, reforçando as suas propriedades medicinais — um fenómeno conhecido como o "efeito entourage". Até agora, a investigação descobriu que o terpeno reforça o potencial sedativo do CBN.

Investigação de apoio

Toda a investigação promissora relativa ao nerolidol é pré-clínica. São necessários ensaios clínicos minuciosos para confirmar como é o que terpeno afeta os humanos. No entanto, esta investigação inicial oferece uma perspetiva interessante sobre as futuras aplicações terapêuticas possíveis.

• Anti-inflamatório e antinocicetivo

O nerolidol poderá ajudar a reduzir a inflamação — um estado fisiológico implicado em muitos estados de doenças. A investigação publicada na revista Clinical Pharmacology investigou as propriedades antinocicetivas e anti-inflamatórias do nerolidol em modelos de dor em ratos.

Após submeterem os ratos a uma série de testes projetados para induzir dor, os investigadores descobriram que diferentes doses de nerolidol foram eficazes na diminuição da dor. Estes investigadores suscitaram a possibilidade de que o terpeno pode alcançar estes efeitos através do sistema GABAérgico — uma rede envolvida na criação e metabolismo do neurotransmissor GABA.

Os neurónios GABA estão associados à regulação do controlo da informação sensorial na espinha, sendo que o neurotransmissor desempenha um papel na mediação e perceção da dor. Os investigadores também descobriram que o nerolidol reduz a produção de moléculas inflamatórias — incluindo interleucinas — num modelo de inflamação em ratos.

• Antitumoral

Inúmeros estudos animais sugerem que o nerolidol pode ajudar a reduzir o tamanho do tumor e a ocorrência. Um estudo, publicado na revista Carcinogenesis, testou estes efeitos em ratos expostos a um cancerígeno potente que promove o crescimento tumoral no cólon.

Os investigadores observaram que os ratos alimentados com nerolidol demonstraram uma redução nos tumores intestinais. Os números decaíram de 82 para 33%. Os autores do estudo afirmaram que "os efeitos do nerolidol são de interesse em termos de identificação de um novo inibidor de carcinogénese do intestino grosso”.

Outro estudo explorou os efeitos antitumorais do óleo essencial de Zornia brasiliensis, uma planta rica em nerolidol, entre outros terpenos. Os investigadores administraram o óleo em ratos e descobriram que este reduz o crescimento tumoral entre 1,68–38,61%.

• Antioxidante e neuroprotetor

Enquanto antioxidante, o nerolidol pode conseguir defender contra o stress oxidativo e subsequentes danos no ADN. Vários estudos celulares demonstram a poderosa atividade antioxidante do nerolidol, bem como a capacidade do terpeno combater os efeitos dos radicais livres. A molécula aparenta ser capaz de proteger os lípidos, proteínas e ADN dos danos oxidativos.

Um estudo animal sugere que estes efeitos antioxidantes podem produzir propriedades neuroprotetoras. Os investigadores observaram os efeitos do nerolidol contra a oxidação no hipocampos dos ratos. O terpeno catalisou um efeito protetor através do reforço da produção de enzimas antioxidantes, eliminando os radicais livres e prevenindo a peroxidação lipídica.

• Antiulcerativo

O nerolidol pode desempenhar um papel no tratamento futuro das úlceras gástricas. Esta doença afeta milhões de pessoas anualmente e tem múltiplas causas. Determinadas estirpes de bactérias e anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) estão habitualmente por detrás do seu surgimento. No entanto, fatores como o tabaco e o stress contribuem para o seu desenvolvimento.

Um estudo de 2014 testou os efeitos do nerolidol em diferentes modelos experimentais de úlcera em ratos. Os investigadores descobriram que o terpeno produz uma redução significativa de úlceras provocadas pelo stress. O terpeno também inibiu as úlceras provocadas pelo etanol em 52,63% quando administrado numa dose de 250 mg/kg, e em 87,63% com uma dose de 500 mg/kg. O nerolidol também inibiu significativamente as úlceras provocadas pela indometacina AINE.

Os investigadores concluíram que as suas descobertas sugerem que o nerolidol pode ser utilizado em tratamentos gastroprotetores e antiulcerativos.

De que produto eu preciso?
As Seen On: