Posso Tomar o CBD Enquanto Amamento?

Published:

A amamentação é uma experiência extraordinária — mas requer cuidado extra

Uma das alterações mais significativas durante a gravidez é a necessidade de controlar os alimentos e bebidas que ingere. Tudo o que consome passa diretamente para o seu filho e, como tal, uma ampla variedade de substâncias são um tabu. Esta abordagem cautelosa também é necessária durante a amamentação, dado que determinados compostos podem entrar no sistema de um recém-nascido através do leite materno. Em relação ao CBD, esta substância apresenta algum risco para a mãe ou filho?

Um composto que recebeu imensa atenção em relação a este tema devido ao seu efeito nos recém-nascidos é o THC, o composto psicotrópico que podemos encontrar na espécie cannabis sativa. Contudo, a quantidade de CBD que pode passar para um recém-nascido é algo sobre o qual sabemos significativamente menos. Esta escassez de compreensão dá-se apesar de o CBD ser considerado um canabinoide não-tóxico e bem tolerado pelos adultos, apresentando vários benefícios terapêuticos.

A ligação entre o CBD e a amamentação é dúbia

Embora escasseiem estudos específicos sobre o CBD e a amamentação, há alguns estudos generalizados que podem ser utilizados como ponto de referência.

Um estudo publicado pela Academia Americana de Pediatria retirou 54 amostras de mais de 50 mulheres lactantes para medir os níveis de tetraidrocanabinol e canabidiol. Os resultados demonstraram que, enquanto o THC foi detetado em 63% das amostras analisadas, o canabidiol foi mensurável em 9% das amostras de leite.

Apesar do resultado aparentemente favorável, vale a pena considerar as variáveis. Não é conhecida qual a concentração de canabinoides que estas mulheres consumiram e há que considerar a forma segundo a qual o THC e o CBD foram processados. Enquanto o THC se armazena nas células de gordura, o CBD não o faz, e tem uma meia-vida mais curta. São necessários diferentes métodos científicos para medir as amostras com precisão em busca de vestígios de CBD.

Os autores foram rápidos a destacar que "a informação sobre os riscos associados à amamentação de crianças é urgentemente necessária". Isto é um tema contínuo em muitos estudos pré-clínicos. Independentemente dos resultados, os académicos concordam que é absolutamente necessária uma maior investigação direcionada.

O óleo de CBD pode apresentar alguns benefícios enquanto amamenta

Se nos alhearmos um pouco da investigação e considerarmos o porquê de as mães lactantes poderem vir a querer consumir CBD, constatamos que urge encontrar mais informação sobre este tema. A depressão pós-parto (DPP) é uma condição debilitante que pode causar fadiga, ansiedade, depressão, alterações de humor e, acima de tudo, um desprendimento em relação ao seu recém-nascido.

Um dos habituais processos de tratamento da DPP é a prescrição de antidepressivos. Isto representa um problema significativo para as parturientes, pois não podem tomar antidepressivos enquanto estão a amamentar. Numa fase que já é desafiadora por si só, muitas mães não querem perder o vínculo desenvolvido através da amamentação.

Uma abordagem alternativa pode advir das potenciais qualidades terapêuticas do CBD. Se analisarmos a ansiedade como um exemplo, um relatório preliminar sobre a perturbação da ansiedade social e os efeitos do CBD forneceu resultados favoráveis. Os investigadores descobriram que "o CBD foi associado a uma ansiedade subjetiva significativamente diminuída". Os resultados não só foram positivos, como também foi um dos poucos estudos realizados em pacientes humanos.

Também temos de considerar a interação do CBD com o endocanabinoide. Produzidos internamente, os endocanabinoides são compostos que ajudam a regular a dor, o humor e o apetite, entre outros processos biológicos críticos. O CBD demonstrou restringir uma enzima que decompõe a anandamida, e níveis maiores de anandamida (apelidada de "molécula da felicidade") foram vinculados a uma potencial diminuição da depressão e da dor.

Não há simplesmente investigação suficiente para dar uma resposta definitiva

Voltando ao início, ao título deste artigo, "Posso tomar o CBD enquanto amamento?", a resposta, infelizmente, ainda não é esclarecedora. Não há investigação suficiente sobre as possíveis interações entre um recém-nascido e o CBD para dizer definitivamente se é, ou não, seguro. Contudo, se ainda tiver dúvidas sobre o assunto, o seu médico deve ser a primeira pessoa a contactar.

Embora não lhe possamos dar uma imagem nítida do uso do CBD durante a amamentação, é essencial observar que os endocanabinoides já existem no leite materno. Produzidos pelo sistema endocanabinoide (SE) inato do corpo, não há qualquer dúvida de que estes químicos desempenham um papel fundamental no desenvolvimento biológico. O desafio, contudo, é compreender este mecanismo na íntegra para assegurar tanto a saúde da mãe como do filho. Com a inexistência de toxicidade no CBD a ser um dos fatores significativos a seu favor, os estudos futuros podem fornecer as respostas que procuramos.

Registe-se e aproveite 10% de desconto na sua primeira compra

De que produto eu preciso?