Published:

Updated:

Author: Luke Sholl

Como é que o Seu Corpo Absorve o CBD?

biodisponibilidade

Simplificando — a biodisponibilidade é a taxa (e extensão) à qual os ingredientes ativos atingem a sua área alvo no corpo. Neste caso, o ingrediente ativo é o CBD e a área alvo é a corrente sanguínea. Caso quisesse assegurar uma biodisponibilidade de 100%, o método mais direto seria uma dose intravenosa de CBD.

No entanto, a administração intravenosa do CBD não é possível (exceto em circunstâncias muito específicas), aconselhável, nem realística. Ao invés, podemos olhar para a biodisponibilidade prevista de outros métodos de administração mais convencionais.

Talvez a explicação mais simples relativamente à biodisponibilidade seja imaginar as suas deslocações diárias. A caminho do trabalho, a maioria das pessoas tenta seguir o caminho mais direto. Não só porque é o mais rápido, mas também porque significa que pode ir para o trabalho revigorado e pronto. Uma dose intravenosa de CBD é o caminho mais rápido para o trabalho — sem desvios ou trânsito, apenas uma via direta.

No entanto, para cada conjunto de semáforos, obras na estrada ou desvios inseridos, a sua viagem fica cada vez mais demorada. E com cada atraso, começa a perder o entusiasmo com o qual acordou — bem, o mesmo princípio aplica-se à biodisponibilidade.

A biodisponibilidade do CBD

Por cada obstáculo introduzido (enzimas digestivas, ácido estomacal, taxa de metabolismo), a taxa a que, e por conseguinte a extensão, o CBD atinge a nossa corrente sanguínea é comprometida. Aquela que começa por ser uma dose alta é lentamente diminuída à medida que viaja pelo corpo, tal como o seu entusiasmo pelo trabalho caso fique preso no trânsito!

A realidade é que embora uma gota de óleo CBD possa conter 2 mg de CBD, por exemplo, uma quantidade mais pequena desta dose alcança a corrente sanguínea. Por conseguinte, a intensidade e a eficácia do óleo CBD depende muito da biodisponibilidade. No entanto, não pense que tomar o CBD através de um dos métodos listados abaixo é uma perda de tempo. Pelo contrário, até uma pequena quantidade, numa biodisponibilidade mais baixa, ainda pode fazer uma diferença significativa no bem-estar.

Formas de tomar o CBD e a sua biodisponibilidade

De momento, pode encontrar o CBD em tópicos, cápsulas, extratos, comestíveis, e-líquidos, supositórios e sprays nasais. Uma seleção diversa de produtos significa que há várias formas de tomar o CBD, cada com benefícios únicos. No entanto, juntamente com estes benefícios, cada método de consumo tem diferentes taxas de biodisponibilidade.

Oral

O consumo oral do CBD é a opção mais popular. No entanto, uma vez consumido, o composto tem de lidar com vários processos biológicos antes de alcançar a nossa corrente sanguínea. O sistema digestivo e as suas enzimas farão o seu melhor para diluir a dose de CBD que consome.

Devido ao número de variáveis, é praticamente impossível dar uma expetativa exata da biodisponibilidade oral, mas os cientistas acreditam que será de cerca de 4–20%. Não é, de todo, uma forma terrível de consumir o CBD, mas há métodos com maior biodisponibilidade.

Sublingual

Embora seja um processo muito similar ao consumo oral do CBD, a administração sublingual depende das capilaridades sob a língua para dispor de um acesso mais rápido à corrente sanguínea. Colocando algumas gotas sob a língua, e sustendo-as durante cerca de um minuto, o CBD sublingual oferece maior biodisponibilidade do que a administração oral, embora a taxa de melhoria exata ainda esteja sob avaliação.

Segundo relatos anedóticos, o doseamento sublingual do CBD é uma forma simples e eficaz de aumentar o início dos efeitos. Devido ao facto de não ter que lidar com o fígado e o trato GI, o CBD deve atingir a corrente sanguínea mais rapidamente.

Tópicos

Os cremes infundidos em CBD têm a menor biodisponibilidade (5–10%) de entre os quatro métodos de administração aqui listados. Todavia, isto não é necessariamente um fraco retorno relativamente ao investimento. A beleza dos tópicos de CBD é que os administra diretamente na pele, de forma que o canabinoide possa fornecer benefícios a nível celular. Embora o CBD possa não viajar pelo corpo ou alcançar a corrente sanguínea, este ainda consegue comprovar ser altamente eficaz a um nível localizado (nas áreas onde o aplica).

Vaporização

Na vaporização, como é óbvio, queremos dizer inalar o vapor de e-líquidos, os quais aquece para fornecer uma passa instantânea do CBD. A vaporização do CBD também é uma forma fantástica de melhorar a biodisponibilidade do composto. Com uma taxa de sensivelmente 50–80%, esta é o mais aproximado que consegue ter de uma dose intravenosa. A inalação do vapor não é adequada para todos, dado que o grau de benefício dependerá das necessidades de bem-estar em particular. Dito isto, para uma dose potente de CBD, o vaping continua a ser um dos métodos de administração mais eficazes.

Como aumentar a biodisponibilidade do CBD

Lipossomas

Na busca por maior eficácia, não é apenas uma alteração na administração que pode alterar a biodisponibilidade. De facto, realizando alterações à fórmula de um produto específico, ou ingerindo o CBD em conjunto com uma refeição, é possível melhorar a taxa de absorção.

Lipossomas

Um dos principais exemplos desta melhoria é cortesia dos lipossomas, vesículas de grau farmacêutico que melhoram a quantidade de um ingrediente ativo que alcança a corrente sanguínea. Estas bolas microscópicas protetoras transportam o CBD até à área alvo enquanto o protegem das enzimas digestivas e o tornam mais fácil de ser absorvido pelas células. Simplificámos o conceito de certa forma, mas os lipossomas continuam a ser um método popular de ingestão de medicamentos e uma opção versátil para melhorar a biodisponibilidade do CBD consumido oralmente.

Nanoemulsão

Outro método de melhorar a biodisponibilidade é a nanoemulsão. Uma vez mais, seremos brandos nos aspetos técnicos, mas essencialmente, a nanoemulsão envolve a utilização de ondas ultrassónicas para decompor o CBD em partículas muito mais pequenas, melhorando assim a absorção.

Habitualmente, uma solução direta é misturar o CBD com um óleo transportador (o CBD é lipofílico, o que significa que se dissolve na gordura). No entanto, a nanoemulsão destina-se a levar as coisas mais além e a cortar no intermediário. O resultado é uma molécula de CBD que contorna os órgãos internos e viaja diretamente para a corrente sanguínea. A técnica ainda está na sua fase mais precoce, mas esperamos ver mais produtos de CBD nanoemulsificados no futuro.

Consuma CBD com uma refeição

Caso não tenha o equipamento de laboratório adequado, não se preocupe. Uma forma simples de melhorar a biodisponibilidade do CBD é consumi-lo com ou logo após uma refeição. A ingestão do CBD em conjunto com uma refeição ou snack rico em gorduras (abacates, nozes ou salmão, por exemplo) favorece a natureza lipofílica do composto. A gordura extra ajuda a tornar o CBD mais prontamente disponível, melhorando a biodisponibilidade sem necessitar de lipossomas.

Como acumular níveis significativos de CBD

Assim que tiver identificado o método mais eficaz de consumir o CBD — talvez decida tomá-lo em conjunto com uma refeição rica em gordura para dispor de uma reforço extra na biodisponibilidade — tem a certeza que é só isso que deve considerar?

A biodisponibilidade será sempre uma consideração importante para qualquer um que procure beneficiar dos benefícios holísticos do CBD. No entanto, deve considerá-lo como um elemento de seleção do produto indicado. É igualmente crucial manter um nível consistente de CBD caso queira beneficiar verdadeiramente de tudo o que o composto tem para oferecer.

Fazer com que a área alvo disponha do máximo CBD possível, o mais rápido possível, é ótimo, mas o bem-estar melhorado é uma maratona, não um sprint. Assim sendo, é importante continuar a repor os seus níveis de CBD com o doseamento regular para certificar-se de que está pronto a ajudar quando mais precisa. E lembre-se, quanto mais rápido o CBD alcançar a corrente sanguínea, mas rápido este também sai do corpo! Está tudo relacionado com o equilíbrio da biodisponibilidade e dos benefícios dos diferentes métodos de consumo com as suas necessidades individuais.

A biodisponibilidade é um dos aspetos na altura de escolher o produto de CBD indicado

Mesmo se administrasse o CBD através de um método que tivesse uma biodisponibilidade de 100%, se a qualidade do produto fosse fraca, os efeitos não seriam mais significativos. Também vale a pena considerar que o consumo oral resulta na permanência do composto durante mais tempo no corpo do que com outros métodos.

Quando decide tomar o CBD, pense primeiro naquilo que está a tentar alcançar. Caso não esteja a utilizar o composto para apoiar uma doença em particular, então um método geral de administração (oral/sublingual) deve ser mais do que suficiente.

Tendo todos estes atributos em consideração, pode assegurar que o seu método de administração é o mais eficaz possível, independentemente de como decide tomar o CBD.

Pronto para usufruir da biodisponibilidade de diferentes produtos de CBD? Porque não navega pela loja Cibdol para encontrar um óleo, cápsula, creme ou suplemento de CBD que corresponda com as suas necessidades? Ou, se ainda tiver dúvidas sobre os lipossomas, nanoemulsão e a acumulação de níveis consistentes de CBD, visite a nossa Enciclopédia CBD.

De que produto eu preciso?
As Seen On: