O que é o THCA (Ácido Tetraidrocanabinólico)?

Continue a ler para ver um resumo dos principais atributos, efeitos secundários, investigação de apoio e estatuto legal do THCA.

O que é o THCA?

O ácido tetraidrocanabinólico (THCA) é um canabinoide no estado bruto que se encontra na espécie Cannabis sativa. É um canabinoide ácido e não-psicotrópico que resulta da biossíntese do precursor CBGA. Quando o THCA é exposto ao calor, perde um grupo carboxílico e torna-se no THC, o canabinoide mais comummente associado à marijuana.

Efeitos secundários

Na sua forma ácida, o THCA não aparenta ter quaisquer efeitos secundários dignos de menção. No entanto, o THCA é instável e descarboxilará naturalmente para o canabinoide psicotrópico THC com o passar do tempo.

Resumo do THCA

• Análogo do THC
• Não-psicotrópico
• Encontrado nas plantas de canábis ainda vivas (folhas)
• Canabinoide não-psicotrópico mais abundante
• Aparenta ser um agonista dos recetores TRPV
• Quantidade limitada de investigação de apoio

THCA e a investigação de apoio

Os estudos em grande escala e os ensaios clínicos sobre os possíveis benefícios do THCA são incrivelmente limitados. Há, no entanto, indicações iniciais de que o canabinoide poder ter qualidades anti-inflamatórias e neuroprotetoras.

Em 2011, os investigadores da Universidade de Leiden publicaram um estudo que destacava a interação entre o THC, THCA, CBD, CBDA, CBG e CBGA com as enzimas cicloxigenases (COX-1 e COX-2). Estas enzimas são importantes porque influenciam a produção de prostaglandinas, um composto lipídico envolvido na inflamação. Os resultados demonstraram que todos os seus canabinoides "inibiram a atividade da enzima cicloxigenase".

As qualidades neuroprotetoras do THCA foram testadas num estudo animal de 2012 publicado na Phytomedicine. O efeito do THCA, juntamente com o THC e CBD, foi examinado em relação à neurotoxina MPP+, um químico orgânico responsável pela morte celular. Os investigadores concluíram que o "THC e o THCA protegem os neurónios dopaminérgicos", com o THCA a aumentar significativamente a contagem celular.

A British Journal of Pharmacology publicou um estudo em 2013 que destacou o impacto potencial dos canabinoides não-THC nas células cancerígenas. Num esforço para compreender os mecanismo subjacentes, os investigadores focaram-se nos canabinoides que não se ligavam com os recetores canabinoides mas, ao invés, demonstravam uma afinidade com os canais TRP. Descobriu-se que o THCA inibiu as células recetoras androgénicas envolvidas no cancro da próstata.

Estatuto legal

Embora o THCA não esteja registado na Convenção sobre Substâncias Psicotrópicas da ONU, as leis locais podem variar devido à sua similaridade química com o THC.

De que produto eu preciso?
As Seen On: