Como funciona o CBD?

Como funciona o CBD?

O CBD (canabidiol) pertence a uma família de componentes chamada de canabinoides. Eles são únicos pois existem fora do corpo. Ao ser consumido, o CBD pode influenciar o sistema endocanabinoide, permitindo que o resto do corpo trabalhe com mais eficácia.

Tudo começa com o Sistema Endocanabinoide (SE)

O Sistema Endocanabinoide, ou SE, existe em todos os mamíferos. Isto inclui os cães e gatos de casa, e até mesmo não mamíferos como o peixe dourado. Em humanos, o papel do SE é uma descoberta relativamente recente (início dos anos 90), e por isso os estudos estão ainda em desenvolvimento.

O que sabemos é o seguinte: o SE funciona como um sistema regulador que tem um papel nos órgãos vitais, áreas do cérebro e nos sistemas nervoso e imunitário. O seu trabalho é essencialmente observar todos estes sistemas e garantir que estão em funcionamento. Se por alguma razão não estiverem, ele tentará ajudar sinalizando a libertação de componentes biológicos específicos ou enzimas.

Pense no CBD como um gestor geral do seu sistema endocanabinoide. Ele não se envolve nas pequenas tarefas do dia a dia, mas garante que as enzimas e componentes químicos do seu corpo estão onde precisam de estar, quando necessárias. O CBD pode, porém, liderar na frente, e casualmente, vai interagir diretamente com o SE.

Dois tipos de recetores estão ligados ao SE

Para o SE agir, precisa de ter um ponto de entrada para canabinoides como o CBD e fá-lo através de dois tipos de recetores (CB1/CB2) que funcionam como pontos de acesso para o SE. Porém, para garantir que apenas os componentes certos entram no caminho certo, os recetores possuem uma espécie de "fechadura". Se os recetores interagirem com o componente correto, o caminho é destravado e o SE recebe o sinal para entrar em ação.

A "chave" do CBD não encaixa perfeitamente nas "fechaduras" CB1 ou CB2, provocando antes efeitos a jusante ao influenciar os recetores de outras formas. Em vez de destravar o caminho diretamente, é como se o CBD viesse por uma porta dos fundos própria. Quando isso acontece, experimentamos vários dos efeitos que tornaram o CBD conhecido. O CBD não é o único componente que pode estimular os recetores CB1 e CB2, mas é um dos poucos que não possui efeitos secundários que alteram a mente. Numa situação em que o CBD não interage diretamente com um recetor, ele trará benefícios na mesma ao comunicar com outros químicos e enzimas.

Como funciona o CBD?

Os recetores CB1 e CB2 não são os únicos influenciáveis pelo CBD

O papel do CBD como um gestor geral versátil vai além dos recetores CB1 e CB2. Ele pode também influenciar recetores que não estão diretamente ligados ao SE. Estes recetores incluem os que ativam a libertação de serotonina (5-HT). A serotonina é um químico que contribui para a sensação de felicidade e bem-estar.

O CBD também interage com canais TRP. Não deixe o nome assustá-lo; o papel deles é simples. Os canais TRP existem dentro das células e agem como os sensores de um carro: monitorizam coisas como a temperatura e a dor. Se eles detetarem que a temperatura está muito baixa ou muito alta, mandam um sinal para a célula adequada para o corpo entrar em ação.

Finalmente, o CBD inicia uma reação dos recetores do fígado (PPAR-alfa). Isto pode acelerar o metabolismo no fígado e é algo que os cientistas ainda procuram compreender.

O CBD também tem um papel na produção e decomposição das enzimas

Mencionamos anteriormente que o CBD pertence à família de componentes chamada de canabinoides. Eles existem fora do corpo, mas, felizmente para nós, a fisiologia humana desenvolveu o seu próprio tipo de canabinoide chamado endocanabinoide. Eles são semelhantes ao CBD em termos de estrutura molecular, mas ocorrem naturalmente dentro do corpo humano.

Um desses compostos é chamado de anandamida (AEA). Grandes concentrações da AEA são geralmente decompostas pelo corpo, mas o CBD tem uma habilidade única de se ligar com a enzima responsável por gerir os níveis de AEA. Ainda há muito a aprender sobre as possibilidades relacionadas com essa reação, mas os investigadores acreditam que altas concentrações de AEA podem ter um papel na dieta, padrões de sono e alívio da dor.

O potencial do CBD é vasto e inclui múltiplos sistemas fisiológicos

Já falamos sobre muitos assuntos, pelo que vale a pena fazer uma revisão. Para isso, voltaremos ao exemplo do CBD como gestor geral.

O CBD apoia a habilidade do corpo para manter tudo equilibrado e a funcionar como é suposto. Ele pode ter muitos papéis e, por isso, influencia uma vasta gama de processos biológicos. O resultado pode variar na medida em que cada corpo é diferente, incluindo os seus SE e recetores. Para mais informações sobre este fenómeno, leia o nosso artigo sobre Dosagem do CBD, Entendendo o Básico. Finalmente, a chave é encontrar um produtor de CBD de confiança com os resultados dos testes verificáveis e a potência necessária para obter os melhores efeitos do CBD.

De que produto eu preciso?